SERAM e SESARAM chegam a acordo

Após um longo processo negocial e após cedência de ambas as partes há finalmente consenso.

À quinta reunião o Sindicato dos Enfermeiros e o SESARAM chegaram finalmente a acordo evitando assim uma greve que seria desencadeada afirmou ontem ao JM o dirigente sindical Juan Carvalho.

Após mais de duas horas de negociações, Juan Carvalho sublinhou que “o processo teve um desfecho positivo” e houve consenso sobre o documento em discussão: o Acordo coletivo de trabalho que aplica aos enfermeiros que trabalham a contrato individual de trabalho (CIT) no SESARAM as mesmas regras que são aplicadas aos Enfermeiros do estatuto público.

Em causa estava a contagem dos pontos para efeitos de descongelamento, a avaliação do desempenho e os procedimentos concursais aplicados aos Enfermeiros a CIT. O objetivo do sindicato era ter os instrumentos devidamente validados, para quequando o processo de descongelamento das carreiras da função pública entre em prática, seja aplicadode forma simultânea aos enfermeiros a CIT.

“Hoje o conjunto de matérias que se aplicam aos enfermeiros em regime público, por via dos acordos em vigor entre o Sindicato e o SESARAM, também se aplicam aos enfermeiros em direito privado” sublinhou Juan Carvalho, acrescentando que “finalmente há um instrumento que permite que isso aconteça”.

Para o efeito e de acordo com o dirigente sindical, houve cedência de ambas as partes, o sindicato cedeu nos prazos concursais propostos pelo SESARAM e este último aceitou que aquilo que está previsto em regime público em torno da avaliação do desempenho seja aplicado aos enfermeiros em CIT.

“Como sindicato estamos satisfeitos por termos chegado à conclusão deste processo embora com altos e baixos e momentos críticos, o resultado final é extremamente positivo” ressaltou Juan Carvalho.

Outos assuntos em vias de resolução

Outras preocupações foram expressas pelo sindicato ao Conselho de Administração do SESARAM, entre estas que seja agilizado o procedimento concursal que está de momento a decorrer, para a admissão de enfermeiros que fazem falta aos serviços.

Relativamente à situação laboral dos enfermeiros do ATALAIA que apesar de terem sido colocados recentemente dois enfermeiros nesse serviço está, de acordo com Juan Carvalho “a atingir o fim de linha”, o SESARAM salientou que o procedimento concursal vai permitir a entrada de mais profissionais para colmatar as graves necessidades desta instituição.

Por último, no que toca ao suplemento para os enfermeiros especialistas , referiu Juan Carvalho que o SESARAM ressaltou o que já havia sido previamente anunciado pelo secretário regional da Saúde Pedro Ramos ou seja que estes profissionais vão receber um suplemento de 150 euros mensais com retroativos desde janeiro deste ano.

Fonte: jm-madeira